Nossa Senhora de Fátima (1951)

 Fresco no transepto da basílica de S. Eugénio, em Roma
Altar votivo de Nossa Senhora de Fátima
(Dimensões: 9,00 m x 5,00 m)
Links recomendados:
 
Leitura recomendada:
Dissertação de Mestrado em Arte, Património e Teoria do Restauro, de Vera Félix Mariz
Instituto de História de Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa - 2010
Editor: Banco Espírito Santo, Centro de História, Lisboa - 2011
 
Excertos de "A Voz" de 4 de Junho de 1951
        Roma, 2 - O pintor Martins Barata, a propósito da capela de Nossa Senhora de Fátima, hoje inaugurada por Sua Santidade com a igreja de Santo Eugénio, onde figura, declarou-nos:
        "Fátima não tem uma história que possa interpretar-se, plasticamente, além da própria aparição. Por esse motivo, o tema da decoração do altar da Madonna di Fátima, na igreja de Santo Eugénio, em Roma, não se podia fraccionar em predelas e formelas à velha maneira toscana e umbra. A decoração devia ocupar um espaço com as ingratas medidas de cinco metros de largura por onze de altura. A citada impossibilidade de parcelar este espaço, o que seria, artisticamente, mais indicado, apresentou-se como uma grande dificuldade a vencer; mas a indispensável composição una foi estudada e a solução que se encontrou mereceu ser recebida com aprazimento pelo Vaticano."
        Martins Barata prossegue, descrevendo a traços breves mas completos, o que é a nova capela:
        "A Virgem, representada num belíssimo alto relevo do mestre Leopoldo de Almeida, aparece-nos, ao centro do grande fresco de Martins Barata, no halo luminoso do céu de Fátima, sobre a azinheira, aos olhos maravilhados dos pastorinhos. Acompanham-na quatro santos portugueses: Santo António, a Rainha Santa, S. Nuno e S. João de Deus. Conduzido por dois anjos docemente impetuosos, aproxima-se, dos dois lados, o povo de Portugal, representado pelas suas serranas, seus pescadores, seus pastores, operários e estudantes."
 
Altar Fátima
 
 E acentua depois:
        "A composição apresenta-se com uma grande unidade cromática e linear, ligando-se bem a claridade da estátua à claridade do céu, a cor quente das pinturas à cor quente das robustas molduras de travertinos claros e escuros que as circundam; a  estátua, monocroma, num belo mármore de Vila Viçosa tem a modelação a um tempo suave e forte que compensa a uniformidade da sua cor - e a pintura, sempre apenas no plano da parede, tem o vigor bastante para acompanhar a modelação da estátua, sem lhe sobrepor em importância (...). O frontal, na cerâmica de Jorge Barradas, que representa uma Anunciação, afina também a sua cor com a do fresco, apresentando-se com a justeza de tons e a finura de modelação necessárias para sublinhar, sem estridências, a alvura dos mármores, também portugueses do altar, o qual se destaca assim suave mas nitidamente, como lhe compete, do conjunto da decoração.
 
Ver:
1950-10-07 - Diário da Manhã - Diário de Notícias - Diário de Lisboa - Jornal de Notícias
                      O Século - Novidades - O Comércio do Porto - O Primeiro de Janeiro
1950-10-11 - Diário de Lisboa - Uma Obra Prima, por M. C.
                      Jornal de Notícias - O Comércio do Porto - O Primeiro de Janeiro
1951-02-13 - Voz de Fátima, por Manuel, Arcebispo de Mitilene
1951-02-16 - Diário de Lisboa
1951-04-08 - Diário de Notícias
1951-05-11 - Diário da Manhã, por Marques Gastão
1951-05-18 - A Voz
1951-05-19 - Jornal do Comércio
1951-05-23 - Novidades
1951-05-29 - Diário da Manhã - Diário de Lisboa - Diário Popular
                      Comércio do Porto - Diário do Norte
1951-05-30 - Diário da Manhã - Diário de Notícias - A Voz - Jornal do Comércio - Comércio do Porto
                      L'Osservatore Romano - Momento Sera - Paese Sera - Il Giornale D'Italia
1951-06-04 - A Voz
1951-06-05 - O Século
1951-06-08 - A Defesa
1951-06-13 - Diário da Manhã
1951-10-12 - Flama
2016-          - Monumentos
 
Alguns estudos:
Santo António de Lisboa
Rainha Santa Isabel
São Nuno de Santa Maria
São João de Deus

 

 

 
Curiosidade:
 
Entre a gente do povo,
está representada Màmía,
(filha do pintor),
que se encontra um pouco
 inclinada para trás,
pelo espanto
ao olhar para Nossa Senhora.
Gravura de Paes Ferreira

 

■ Ilustração de José Pedro MB, sobre pintura a fresco
   (a propósito do fresco de Jaime MB no altar votivo de "Nossa Senhora de Fátima", em Roma)

 

A Basílica de S. Eugénio, em 1950

Audiência de SS Pio XII em 1951-06-04
com Jaime e Màmía MB
e Leopoldo de Almeida e esposa
Leopoldo de Almeida
autor da escultura
de Nossa Senhora de Fátima
 

 

Projecto inicial, não concretizado:

 
Vitral de de SS Pio XII, devoto de Fátima