Côrtes Medievais

 Painéis na Escadaria do Palácio de S. Bento (1944)
Óleos sobre tela (Dimensões: 4,820 m x 2,700 m  e  4,500 m x 2,070 m)
 
 
Tríptico do lado da Assembleia Nacional:
As Cortes de Leiria (Séc. XIII)
    Pela primeira vez se pode assegurar a presença nas Côrtes dos representantes do Povo – os Procuradores dos Conselhos, os primeiros Deputados.
    Além do Clero, com as suas insígnias – as Cruzes, os Báculos e as Mitras –, da Nobreza, com as suas armas – as espadas, as lanças e os escudos –, pela primeira vez aparece o Povo com os seus direitos assegurados e escritos, nos Forais.
 
Painel da esquerda:
O Clero
Ocupa, em relação aos Nobres, ao Rei e ao Povo, o lugar que sempre ocupou nas Côrtes Portuguesas, segundo as plantas mais antigas.
Representam-se neste painel, junto da capela de S. Pedro, os Arcebispos, os Bispos, o Abade de Alcobaça, os diáconos, os Mestres das Ordem Militares de Santiago, do Templo e de Aviz (ainda então com a cruz encarnada), o Prior da Ordem do Hospital, o Prior dos Pregadores (Dominicanos) e o Guardião dos Frades Menores (Franciscanos). Cruzes Procissionais, Pálio Rico, Círios, Caldeirinha e Incensário.
Painel do centro:
O Rei
e o Povo
O Rei D. Afonso III, de espada cingida e Ceptro na mão, sentado no seu Trono, rodeado dos funcionários do seu Palácio: o Canciller, o Superjudex, o Alferes-menor, o Vice-mordomo, o Reposteiro-Mor, o Capelão e os Físicos, segundo as práticas leonesas e a maneira francesa, que o "Bolonhez", após a sua longa permanência na Côrte de Paris, não deixaria de adoptar em Portugal.
No primeiro plano, conscientes da sua força nascente, os Procuradores dos Conselhos - os primeiros deputados -, com seus Forais na mão, instrumentos da sua força nascente.
Painel da direita:
A Nobreza
Os Ricos-Homens, os Infanções, os Cavaleiros, os Escudeiros e os Condes, com suas armas e suas signas, os seus pendões, as suas flâmulas e os seus estandartes. Os Falcoeiros e os Págens, com os rafeiros do Alentejo e os molossos de Castro Laboreiro.
Ao fundo, o Castelo de Leiria – ainda então românico.

 

Tríptico do lado da Câmara Corporativa:
Alegorias à Indústria, à Arte, Ciência e Humanidades, à Agricultura e Comércio (Séc. XV)
      A grande tradição corporativa encontra-se, iconograficamente, mais documentada no Século XVI. Porém, para assegurar maior unidade aos dois Trípticos, eu quis ainda neste, manter o caracter medievo. Suponho que não será difícil de imaginar enquadrada no final da Idade Média a gente que se escolheu para animar a parede.

 
Painel da esquerda:
A agricultura
A Lavra, a Sementeira, os Gados, os Frutos. É indispensável cingirmo-nos às coisas, aos produtos e aos animais possíveis da época e à verosimilhança e simultaneidade dos factos representados.
De todos os elementos iconográficos e etnográficos, julgo serem os deste Painel os mais seguros; São alguns copiados de objectos e alfaias contemporâneos que condizem, em absoluto, com os documentos da época, como o velho arado romano, os ceifões, a enxada, o jugo, e, como o cesto, certamente o tarro também.
Painel do centro:
A indústria
O Pescador, o Ferreiro, a Fiandeira, o Carpinteiro, o Cordoeiro, o Alvanéo, o Sapateiro, o Oleiro, o Cerieiro, o Atafoneiro, o Armeiro, o Padeiro, o Sombreireiro, o Alfaiate, etc, com as suas insignias e bandeiras.
Ao centro, o Arquitecto, representando, talvez, a Arte e a Ciência, e o Letrado, que simbolizará os estudos das Humanidades e da Filosofia.
Centrando o Painel e o Tríptico, a imagem de São Vicente, patrono de Lisboa; da Lisboa já então, e definitivamente, cabeça da Nação.
Painel da direita:
O comércio
Os Mercadores do Norte e do Levante, com os seus cofres, os seus potes de especearias, as suas jóias e as suas fazendas; os Vinhos e os Cereais que se exportam; As Urcas e as Naus de Comércio e os Transportes terrestres.
 
Triptico intitulado "A defesa da Pátria"
Tríptico intitulado "A Prosperidade da Nação"
 
 
Alguns estudos para a realização destes painéis
Maquete do tríptico de "As Cortes de Leiria"
(Estudo nº 1 - escala 1:20)
 
Maquete do tríptico da "Alegorias à Indústria, à Arte,
Ciência e Humanidades, à Agricultura e Comércio"
(Estudo nº 2 - escala 1:20)
 
 
Alguns estudos de cabeças e figuras
 
m02-cab02.jpg (11790 bytes)
m02-cab01.jpg (11049 bytes)
m02-cab04.jpg (11337 bytes)
m02-cab05.jpg (11458 bytes)
Cabeça de homem, 51 x 36
Cat. 1988: 041 - FSJB
m02-cab06.jpg (12140 bytes)
Cabeça de homem, 36 x 35
Cat. 1988: 047 - FSJB
m02-cab03.jpg (12042 bytes)
 
 
m02-cab07.jpg (10486 bytes)
Cabeça de homem, 31 x 25
Cat. 1988: 030 - FSJB
m02-cab08.jpg (11723 bytes)
Cabeça de homem, 41 x 37
Cat. 1988: 032 - FSJB
m02-cab09.jpg (8861 bytes)
Cabeça de homem, 61 x 48
Cat. 1988: 034 - MERG
m02-cab10.jpg (9035 bytes)
Cabeça de frade, 65 x 48
Cat. 1988: 028 - MERG
m02-cab11.jpg (13463 bytes)
 
 
m02-cat045.jpg (13922 bytes)
Cabeça de homem, 28 x 24
Cat. 1988: 045 - MNAC
m02-cat046.jpg (11676 bytes)
Cabeça de homem, 36 x 25
Cat. 1988: 06 - MNAC
m02-cat043.jpg (9747 bytes)
Cabeça de letrado, 52 x 40
Cat. 1988: 043 - MPAR
m02-cat044.jpg (7064 bytes)
Cabeça de fiandeira, 47 x 36
Cat. 1988: 044 - MPAR
m02-fig07.jpg (13088 bytes)
m02-fig03.jpg (13934 bytes)
m02-cab12.jpg (8677 bytes)
m02-cat042.jpg (11673 bytes)
O semeador, 54,5 x 33
Cat. 1988: 042 - MPAR
m02-fig05.jpg (13611 bytes)
m02-fig04.jpg (12514 bytes)
m02-fig01.jpg (13127 bytes)
m02-fig02.jpg (12723 bytes)
m02-fig06.jpg (14046 bytes)
 
m02-fig02.jpg (12723 bytes)
Um Bispo de Lisboa
 
Óleo sobre tela
88 x 82,5 cm
Cat. 1988: 031
JMBC

 

imagem
Rei Sentado no Trono
Ver em
imagem
Nobre de Manto Amarelo
Ver em
imagem
Nobre com Manto cor-de-Laranja
Ver em
imagem
Retrato de Homem Jovem
Ver em
imagem
Homem com Manto
Ver em
imagem
Retrato de Velho
Ver em
imagem
Homem Ajoelhado com Bandeira
Ver em
imagem
Carregador
Ver em
imagem
Bode
Ver em
   

 

 
Artigos de Jornais
1944-04-03 - Diário de Notícias (1ª Página)
1944-04-03 - Diário da Manhã (1ª Página), por Fernando de Pamplona
1944-04-03 - Diário Popular (1ª Página), por Luís Reis Santos
1944-04-03 - Diário de Lisboa, por Artur Portela
1944-04-04 - Comércio do Porto (1ª Página)
1944-04-04 - Diário da Manhã (1ª Página)
1944-04-04 - Diário de Notícias (1ª Página)
1944-04-04 - Novidades (1ª Página), por Luís Chaves
1944-04-04 - O Século (1ª Página)
1944-04-04 - Primeiro de Janeiro (1ª Página)
1944-04-04 - Jornal de Notícias
1944-04-05 - Diário de Lisboa
1944-04-05 - Jornal de Notícias - Comendador de Santiago
1944-04-05 - República
1944-04-06 - A Voz
1944-04-07 - Diário de Lisboa
1944-04-08 - Diário da Manhã, por Luís Reis Santos
1944-04-10 - Jornal desconhecido
1944-04-12 - Jornal desconhecido
1944-04-12 - Diário Popular
1944-04-13 - O Século
1944-04-15 - Jornal desconhecido
1944-04-16 - O Castelovidense
1944-04-23 - O Castelovidense - Comendador de Santiago
1944-04-23 - O Castelovidense (1ª Página)
1944-08-27 - Notícias de Domingo, por Teresa Leitão de Barros
1944-04-29 - A Defesa
1944-07-20 - Acção, por Franz-Paul Langhans
1944-09-08 - Diário de Lisboa - Compra de estudos
1945-05-03 - Acção, por Fernando de Pamplona

 

Curiosidade:
A única imagem feminina
representada é a de
Guida Otolini,
sobrinha do pintor
m02-cat044.jpg (7064 bytes)